Preconceito religioso / Estado Laico

Publicado: 25/04/2011 em Sem categoria

Que cada um tem a sua crença, bem isto é um direito. Mas, pensando bem, você acha correto uma religião se aproximar dos poderes políticos para legitimar sua forma de pensar e atacar as outras crenças? Clique aqui e dê sua opinião!!!!

Laicidade

Leis a favor dos direitos constitucionais e contra as religiões que atacam a crença e a não-crença dos brasileiros.

Para entender esse texto, você precisa saber duas coisas importantes:

1° – O Estado é LAICO – A Laicidade é a forma institucional que toma nas sociedades democráticas a relação política entre o cidadão e o Estado, e entre os próprios cidadãos. No início, onde esse princípio foi aplicado, a Laicidade permitiu instaurar a separação da sociedade civil e das religiões, não exercendo o Estado qualquer poder religioso e as igrejas qualquer poder político.

2° – A não-crença religiosa também é um direito. Os ateus e também os que possuem uma espiritualidade separada de uma crença religiosa devem ter seus direitos respeitados, inclusive a não obrigação a se expor a pregações religiosas, como no caso dos cultos em praças e ruas das cidades. Bem simples: ninguém pode desligar os ouvidos, né? Então temos que garantir nossos direitos utilizado a Justiça.

Conheça as leias que tramitam em Brasília.

Veja aqui abaixo algumas leis brasileiras, que, SE APROVADAS, tornarão o direito a livre escolha de crença garantido:

* Será proibido fazer cultos ou evangelismo na rua (Reforma Constitucional)
* Cultos somente com portas fechadas (Reforma Constitucional)
* As igrejas serão obrigadas a pagarem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições (esse vai ser um estouro. É “imposto” nas casa dos milhões em alguns templos…)
* Programas religiosos na televisão apenas uma hora por dia
* Religiosos só poderão fazer programas de televisão ou rádio, se tiverem faculdade de Comunicação Social (Jornalismo).
* Será considerado crime agredir ou pregar contra outras religiões e crenças e também veicular mensagem de preconceito no rádio, televisão, jornais e internet, sobre essas práticas em detrimento ao favorecimento de uma crença específica.
* Religiosos que pregarem sobre dízimos e ofertas, dependendo do número de reclamações, serão presos. Isso é chamado também de “indução ao erro,” pois alguém estimula pessoas a “ofertarem” dinheiro em troca de um pedacinho de terras no céu ou uma cura, por exemplo. Já é crime em alguns países.
* Religiosos que forem presos por pregar sobre práticas condenadas pela por sua crença (homossexualismo, idolatria e espiritismo), terão menos recuros judiciais para reverter o processo.
* Igrejas que não realizarem casamento de casais gays, estarão cometendo discriminação e poderão ser multadas e os religiosos processados.
* O dia do ‘Orgulho Gay’ será oficializado em todas as cidades brasileiras. Isso é algo positivo, pois é um mera comemoração extra no calendário de eventos brasileiro. Não afeta a vida de ninguém negativamente e mostra a conquista de um direito.

Reforma Constitucional – Mudanças no texto da Constituição que garantem a liberdade de culto. Se aprovadas, fica proibido culto fora das igrejas (evangelismo de rua), cultos religiosos só com portas fechadas.

1- Projeto nº 4.720/03 – Altera a legislação do ‘imposto de renda’ das pessoas jurídicas.

2- Projeto nº 3।331/04 – Altera o artigo 12 da Lei nº 9.250/95, que trata da legislação do imposto de renda das ‘pessoas físicas’.

Se convertidos em Lei, os dois projetos obrigariam as igrejas a recolherem impostos sobre dízimos, ofertas e contribuições. Isso é positivo, pois a moda agora é algumas igrejas comprarem canais de TV e emissoras de rádio, ficando livres de pagar impostos sobre tais empresas, pois tem isenção garantida.

3-Projeto nº 299/99 – Altera o código brasileiro de telecomunicações (Lei 4.117/62).
Se aprovado, reduziria programas religiosos no rádio e televisão a apenas uma hora.

4- Projeto nº6.398/05 – Regulamenta a profissão de Jornalista
Contém artigos que estabelecem que só poderá fazer programas de rádio e televisão, pessoas com formação em JORNALISMO, Significa que pastores sem a formação em jornalismo não poderão fazer programas através desses meios.

5-Projeto nº 1.154/03 – Proíbe veiculação de programas em que o teor seja considerado preconceito religioso.
Se aprovado, será considerado crime pregar sobre idolatria (adoração a estátuetas), feitiçaria (Wicca, por exemplo) e rituais pagãos/afrobrasileiros. Será proibido que mensagens agredindo tais práticas sejam veiculadas no rádio, televisão, jornais e internet. Isso se fundamenta no fato de que algumas igrejas continuamente ridicularizam a crença alheia, para conseguir novos fiéis. Como dizem algumas igrejas evangélicas preconceituosas: “A verdade sobre esse atos contrários a Palavra de Deus, não poderá mais ser mostrada.” Hipocrisia e jogo de interesses.

6- Projeto nº 952/03 – Estabelece que é crime atos religiosos que possam ser considerados abusivos a boa-fé das pessoas.
Convertido em Lei, pelo número de reclamações, pastores e outros religiosos serão considerados ‘criminosos’ por pregarem sobre dízimos e ofertas. Está certo, as Igrejas/templos precisam de manutenção dos fiéis, mas isso pode ser feito a partir de um orçamento participativo, onde os gastos de reformas, contas de água e luz e até mesmo o salário dos religiosos (isso mesmo, quase todos eles tem salário) seria discutida entre os frequentadores das igrejas para terem aprovação.

7- Projeto nº 4.270/04 – Determina que agressões verbais feitos contra ações praticadas por grupos religiosos possam ser passíveis de ação civil.
Se convertido em Lei, as Igrejas evangélicas. por exemplo, ficariam proibidas de pregar sobre o que eles denominam serem práticas condenadas pela Bíblia, como espiritismo, “feitiçaria”, idolatria e outras. Se o fizerem, serão processadas com menos recursos de defesa, pois o ato será um crime e não uma mera diferença de pensamento em relação a outrem.

8- Projeto de nº 216/04 – Torna inelegível a função religiosa com a governamental.
Significa que todo pastor ou líder religioso lançado a candidaturas para qualquer cargo político, não poderá de forma alguma exercer trabalhos na igreja. Isso é muito válido, pois a Justiça Eleitoral não tem controle sobre a pregação de religiosos em favor de sua própria candidatura ou de outros políticos atrelados à instituição religiosa. Ter o controle das massas não garante honestidade na política, principalmente para os inocentes que acreditam em conversa mole treinada em palanques por aí afora…

Organização Nova Consciência.

Parafraseando uma corrente de notícias negativas sobre as leis acima citadas, em pesquisa realizada em vários sites religiosos. Os líderes de algumas religiões estão pregando contra tais leis, que garantem os direitos constitucionais. Quem não deve, não teme!

Fonte: Blog Encontro da Nova Consciencia (http://novaconsciencia.multiply.com/journal/item/190)

About these ads
comentários
  1. FalandoaVerdade disse:

    Pra quando é isso gente???
    nao da mais pra aguentar na TV os pseudos evangelicos e suas falacias. O Jornalismo nada laico da Record, exaltando as qualidades comerciais do sr. macedo. Gente mal informada e nem um pouco formada falando m3rd4 em programas religiosos pagos para arrecadar mais dizimo. AFH!!! e a cambada de politicos eleitos com votos cabestrais de igrejas evangelicas. Fora os padres que sao cantores e artistas, que mais ofendem nossos ouvidos com vozes esganecidas.

    • vania disse:

      acho que falando em preconceito religioso vcs estõ cometendo uma grave inflação,pois estão de uma certa forma atacando exclusivamente os cristãos evangelicos, isto é um preconceito da parte de vcs que não querem ser atacado mais estão atacando a religião do outro.
      reveja seus conceitos e sejam neutros quando se fala em preconceito,pois sou evangelica e sou totalmente neutra na escolha do outro.

  2. Adriana Gonçaves disse:

    Acredito que a religião deve ser escolha de cada um, afinal Deus é um só, o que muda é o caminho que levamos para chegar até ele. Pessoas usando da fé para obter lucro existem em todas as religiões. O maior problema que vejo hoje é a discriminação que nós espíritas, umbandistas, e afins sofremos por parte dos evangélicos que nos chamam de demônios. Dizem que estamos possuídos.
    Sou cristã, como eles, afinal tbém acredito em Jesus Cristo, e não admito ser assim denominada.
    Eles não tem respeito por ninguém e tem a pretenção de acharem que são os únicos a serem filhos de Deus, esquecendo que somos todos imperfeitos e humanos. Não há diferença, somente pessoas que pensam diferente.
    Que nos abençoe a todos e ajude a acabar com este tipo de sentimento que não faz bem, nem para um lado, nem para o outro.
    Sejamos mais tolerantes, felizes, caridosos…..

  3. Lucia Dias disse:

    Se tudo isto acontecer, seremos realmente iguais perante as leis brasileiras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s