A TEDES - Tenda Espírita Divino Espírito Santo precisa de você!!!

Bom dia amigos! O que é a TEDES me perguntaram? E eu respondo: É uma casa de amor e caridade,onde se faz o bem sem julgar os erros das pessoas, pq todos nós somos de erros e acertos.É uma casa onde trabalhamos por amor e só recebemos amor em troca!Temos orgulho de ter completado 40 anos de ajuda ao próximo sem cobrar um real por isso! E com esse longo trabalho,ficamos cada vez mais conhecidos,e com isso nossa sede foi ficando pequena para atender a todos que nos procuram,e cada vez mais pessoas desacreditadas e desesperadas nos procuram em busca de uma palavra de consolo. Esse ano,depois de muitos anos tentando juntar dinheiro com eventos,como a nossa tradicional feijoada,que acontece no clube náutico,começamos a nossa obra pra ampliar nossa casa para podermos atender com mais conforto a todos que nos procuram.E infelizmente o dinheiro não foi o suficiente,pois como nossa sede é antiga ouve imprevistos!Por isso viemos a público pedir a ajuda de vcs,de quem conhece a nossa casa e de quem só conhece alguém do grupo,mais sabe que nosso trabalho é sério e verdadeiro! Nossa obra está na fase de acabamento e qualquer valor de doação será de muita ajuda para nós.O que pode parecer pouco para vc,é muito para nós! Quem puder nos ajudar entrem em contato com qualquer pessoa do grupo TEDES ou comigo por mensagem! Nos ajudem a continuar por mais 40 anos fazendo a caridade!
Desde já a TEDES agradece e deseja um ano de muitas felicidades a todos!

QUEM PUDER COLABORAR COM QUALQUER VALOR ENTREM EM CONTATO !OU DEPOSITEM NA CONTA:
TENDA ESPIRITA DIVINO ESPIRITO SANTO
BANCO DO BRASIL
AGENCIA-0262-3
CONTA 00064259-2

1524894_658407697553314_1204248073_n
Antes

1517456_658408290886588_93509237_n

Obra de ampliação do terreiro

"A UNIÃO FAZ A FORÇA E JUNTOS SOMOS MAIS FORTES"

Prece de Natal

Publicado: 21/12/2013 em ORAÇÕES e PRECES, Sem categoria

Image

Conhecemos os Teus ensinamentos.
Auxilia-nos a cumpri-los.
Guardamos as tuas palavras.
Ampara-nos, a fim de que venhamos a traduzi-las em trabalho no serviço aos semelhantes.
Legaste-nos o amor uns aos outros, por legenda da própria felicidade. Guia-nos à prática dessa lição bendita, de maneira a que o nosso dia-a-dia se faça caminho de fraternidade e luz.
Senhor! Disseste-nos: ” dou a vós outros a minha paz ” e tens mantido a tua promessa, através de todos os séculos da vida cristã. Inspira-nos, por misericórdia, o respeito e a fidelidade aos Teus dpara que não venhamos a perder a paz que nos destes, com a intromissão de nossos caprichos, na paz que nos vem de Deus.

Assim Seja!

Imagem: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.267116416770083.1073741848.210209415794117&type=1


I ENCONTRO INTER-RELIGIOSO DO SULFLUMINENSE

Imagem  —  Publicado: 27/11/2013 em Sem categoria


“Hoje é um dia especial… fazem 20 anos que fui batizado na Umbanda. Uma religião que me ensinou a humildade e a dedicação ao outro. Me ensinou que mais que palavras temos que ser exemplo, não só dentro de um templo mas em todos os momentos de nossas vidas.
Agradeço a Deus pelo privilégio de ter me cercado de entidades maravilhosas que me acompanham nesses 20 anos, me orientando e me ensinando com seus exemplos. Agradeço pela proteção, pelo carinho, pela paciência e pelo amor que dedicaram a mim todos esses anos.
Dedico a essas entidades todas as honras, pois sei que fui e sou um simples instrumento!!! Obrigado Senhor!!!” Jorge Botelho



Quero parabenizar o Babalorixá Ivanir dos Santos por ter representado tão bem nossa UMBANDA  no programa “Na Moral” exibido pela rede Globo ontem dia 02 de agosto de 2013. Foi um exemplo de humildade e simplicidade dignos de um Sacerdote de UMBANDA,, mesmo sendo debochado pelo Pastor Silas Malafaia em diversos momentos do debate.

“DIGA NÃO À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA E AO MERCADO DA FÉ!!!! VIVEMOS EM UM ESTADO LAICO!!! Parabéns ao Babalorixá por suas palavras!!! Religião é só um meio de nos ligarmos a DEUS… existem vários meios, várias religiões, mas DEUS é um só!!!”

Link dos vídeos do programa:

http://bit.ly/1cjwZXK

http://bit.ly/1cjwZHo

UMBANDA NA MORAL 1

UMBANDA NA MORAL


dia da mulherAxééé… quero aproveitar o dia de hoje, 10 de fevereiro, e falar um pouquinho de uma mulher que não somente fez história, mas também modificou a história de vida de muitas pessoas do Candomblé e por que não dizer, de nós umbandistas. Afinal, sabemos que a Umbanda é uma religião tipicamente brasileira, mas que recebe influências de várias outras religiões, principalmente do Candomblé que, por sua vez, tem influência direta do povo africano.

E é sob tantas influências, histórias e vidas que encontramos uma personagem que, caso ainda estivesse nesse plano, estaria completando hoje 117 anos. Falo de Maria Escolástica da Conceição Nazareth, a querida MÃE MENININHA DO GANTOIS, que liderou seu terreiro por 64 anos até seu desencarne aos 92 anos.


Mãe Menininha do Gantois dedicou totalmente sua vida ao candomblé, nasceu “abençoada” para manter acesa a crença de seus antepassados que vieram da África, levou o nome do Candomblé e de seu terreiro – Ilê Iya Omin Axé Iya Massé, que em ioruba significa “Casa da Mãe das Águas” e que ficou conhecido como Gantois – à terras improváveis, à cabeças incrédulas, à fama, ao tombamento do terreiro, mas nem por isso revelou qualquer fundamento de sua religião, nem por isso lamentou ou se locupletou através da fé alheia ou de sua própria crença.

Foi iniciada aos oito meses e iniciou sua primeira filha aos dois anos de idade raspando a cabeça de uma mulher de mais de 30 anos. Com cinco ou oito anos participava ativamente dos rituais de iniciação, muitas vezes até altas horas da noite. E afirmava: “Minha avó, minha tia e os chefes da casa diziam que eu tinha que servir. Eu não podia dizer não, mas tinha um medo horroroso da missão. Era uma consciência absoluta do que me esperava: passar a vida inteira ouvindo relatos de aflições, doenças e lástimas e ter que ficar calada, guardar tudo para mim, procurar a meditação dos encantados para acabar com o sofrimento. Tudo exige abnegação.”

Waldemir Rego, estudioso da cultura afro-baiana, frequentador do Gantois, afirmou que: “Menininha era dona do maior acervo de conhecimento litúrgicos do ritual afro do país” e destacou “ela tornou-se um verdadeiro patrimônio pela devoção aos seus deveres de sacerdotisa, tendo conseguido manter a sua casa de candomblé dentro da maior pureza possível, sem se deixar tragar pela sociedade de consumo”.

Ela foi tão ilustre que as palavras canzuá e ganzuá, que muitas vezes são mencionadas pelos queridos guias espirituais de nossa Umbanda, é uma corruptela de Gantois.

Seu prestígio não se restringiu somente ao sagrado, influenciou importantes intelectuais e pesquisadores, aliás alguns deles se encantaram tanto com a religião e com o carinho de Mãe Menininha que assumiram algumas responsabilidades religiosas como foi o caso de Nina Rodrigues (médico legista, psiquiatra, professor e antropólogo), de Manuel Querino (intelectual, fundador do Liceu de Artes e Ofícios da Bahia e da Escola de Belas Artes, escritor), de Estácio de Lima (médico legista), de Arthur Ramos (médico e antropólogo), de Nestor Duarte (professor da Faculdade de Direito), de Hozannah Oliveira (professor da Faculdade de Medicina da Bahia) e muitos outros que tornaram-se ogãs do Gantois.

Muitos políticos e artistas também não resistiram a todo esse encanto e, antes de qualquer atitude mais expressiva em suas carreiras, iam pedir a benção e os conselhos dessa sábia Mãe.

Jorge Amado afirmava: “Na Bahia existe uma mulher que não possuindo nada, não sendo rica, não tendo nenhum posto, não mandando na política, não sendo cardeal, não sendo revestida de nenhum desses falsos poderes, detém um poder real que provém do povo, provém dela ser uma expressão, provavelmente, hoje, a maior do povo baiano”.

Marlene França, atriz e filha da casa desde 1973, por diversas ocasiões testemunhou a acolhida de Mãe Menininha aos mais necessitados quando mandava: “prepare um banho, bote uma esteira para ele dormir, dê-lhe um prato de comida…”. Marlene garante: “vi pessoas com sérios problemas de drogas ou álcool chegar ao Gantois trazidas pela família e depois de um tempo no terreiro se reequilibrarem, vi muitas coisas boas acontecer nas mãos de minha mãe.”

Maria Bethânia foi levada à mãe Menininha pelas mãos de Vinicius de Moraes e apaixonou-se imediatamente: “ela me recebeu com aquela lindeza. Quando Vinicius entrou, mandou buscar uma cadeira para ele sentar. E, para mim, apontou o chão e me mandou sentar ali. Que maravilhosa! Não me lembro nada mais suave do que ela, só mesmo a expressão de Nossa Senhora”, afirma.


Caetano Veloso definiu-a como “a figura mais importante da religião ioruba no Brasil e, em razão disso, uma das figuras mais importantes na formação da cultura brasileira. Um dos maiores ensinamentos dela foi a superação do medo”.
Dorival Caymmi, que por amor a ela fez a música “Oração de Mãe Menininha”, foi somente mais um entre tantos e tantos outros que se beneficiaram desse presente de Olorum a nós que foi Mãe Menininha.

Um exemplo de mulher, de atitude, de determinação, de amor aos Orixás e principalmente submissão à missão.

Foi uma mulher simples que abraçou de tal maneira a sua fé que acreditava com fervor no poder nascido de seu pacto com os deuses da natureza, da bondade e da justiça. Ela se alimentava dos Orixás, ela vivia os Orixás, ela falava, cantava e dançava com orgulho aos Orixás.

Seu universo era próprio e sua função, obrigação e missão eram claras como as águas de Oxum.

E afirmava:

“Esta obrigação é árdua, não é coisa que se pegue com uma mão só.”
“Quando meu tio pôs sua mão sobre a minha e colocou o axé, a emoção que senti jamais poderei descrever. Chorei todas as lágrimas do meu corpo.”

“É a minha missão. Eu não posso explicar. E o senhor não iria entender.”

“Eu sou muito conformada, é difícil eu me zangar, principalmente com os Orixás. Com eles e com Deus não me aborreço. Tudo que a gente passa é porque tem que passar.”

“Antigamente, nós tínhamos mais fé nos Orixás, mais respeito também. Hoje, mesmo nas pessoas que vêm aqui, eu não descubro aquela fé viva de antes. Para mim, essa gente vem com mais curiosidade do que fé.”

” As separações são muitas, tantas que nem a Justiça toma conhecimento.”

“E sabe por que as pessoas têm problemas hoje? É falta de fé em Deus. E o castigo está aqui na terra. Quem não tem fé só pode ser castigado.”

Mãe Menininha do Gantois

Que essas poucas palavras sirvam de INSPIRAÇÃO para fazermos uma Umbanda Melhor.

Que essa bela canção interpretada por Maria Bethânia, Caetano Veloso e Dona Canô, e toda sua expressão, seus gestos, movimentos e olhares nos ENCANTEM de tal forma que faça nosso olhar se modificar.

E que atitudes como a de Mãe Menininha nos sirvam de EXEMPLO ‘De Vida’, ‘De Verdade’ e ‘De Obra por Amor e Fé’.

Saravá a todos e muito Axé no coração.

Por Mãe Mônica Caracc


lEI SECANão são apenas os fãs do Happy hour que terão de mudar seus Hábitos com a nova Lei de trânsito, que proíbe o consumo de álcool pelos motoristas. Os adeptos de alguns cultos religiosos também terão de dar um jeito de adaptar os rituais nos terreiros brasileiros.

Nova Lei Seca multa motorista com 0,05 mg de álcool por litro de sangue Nova medida de prevenção de acidentes no trânsito já está valendo . O Conteúdo do Texto prevê multa de R$ 1.915,30 para motorista flagrado sob efeito de álcool O motorista que for parado em um blitz de trânsito para teste do bafômetro e for flagrado com 0,05 mg ou mais de álcool por litro de sangue será multado, caso esta quantidade estabelecida pelo CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) seja atingida mesmo quando considerada a taxa de tolerância máxima dada ao aparelho. A nova medida de prevenção de acidentes no trânsito já está valendo, uma vez que foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (29/01) após ter sido sancionada pela presidente Dilma Rousseff no dia 20 de dezembro. Antes disso, a quantidade permitida era de 0,1 mg/L. Conforme a resolução, o novo procedimento a ser adotado pelos agentes de trânsito na Lei Seca também estabelece que a fiscalização do consumo de álcool ou de outra substância psicoativa deverá ser procedimento operacional rotineiro. Agora as autoridades podem utilizar, além do bafômetro, testes clínicos, depoimento de policiais, testemunhos de terceiros, fotos e vídeos para comprovar a embriaguez do motorista. O texto também prevê multa de R$ 1.915,30 para motorista flagrado sob efeito de álcool e de outras drogas. Caso o motorista reincida na infração dentro do prazo de um ano, a proposta é duplicar o valor, chegando a R$ 3.830,60, além de determinar a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

A questão da Lei Seca e o uso de bebidas alcoólicas pelas Entidades durante a gíra tem sido alvo de discussões nas redes sociais e nos terreiros. Essa são alguns questionamentos levantados:

1) Com a criação da Lei Seca, onde a tolerância para a presença de álcool no sangue dos motoristas é praticamente zero, como ficam os médiuns cujas Entidades ingerem bebidas alcoólicas?

2) Os Guias entenderão as leis humanas e passarão a adotar outras práticas, abolindo o uso de álcool? Ou não vão nem querer saber da lei e vão continuar utilizando esse elemento através da ingestão?

3) Muitos estudiosos e médiuns alegam que não tem nenhum problema o uso de álcool, porque os Guias levam tudo quando vão embora. Alguns dizem até que o cheiro da bebida não fica na boca do médium. Diante destas afirmativas, teremos uma boa oportunidade, mesmo que forçada, para que diante do bafômetro e de possíveis exames hematológicos, verificarmos a veracidade destes conceitos.

As questões colocadas são deveras pertinentes e tentaremos respondê-las aqui. As Entidades que se manifestam em nossos Terreiros, Casas, Tendas e Choupanas, o fazem por amor às humanas criaturas, trazendo ensinamentos e o alento para aqueles que aos milhares recorrem à Umbanda para a solução de seus problemas.

Acreditamos que as entidades que manifestam nos Terreiros de Umbanda, Crianças, Caboclos, Pretos-Velhos e Exus estão livres do círculo encarnatório, não mais resgatando na penumbra da forma, portanto livres de vícios e demais mazelas típicas de espíritos que ainda não se libertaram das impressões terrenas. Mas na realidade essas Entidades que estão dentro da Lei de Umbanda evoluem dentro de suas próprias linhas. Sendo assim, a grande maioria destas Entidades não usam do tabaco e do álcool por vício.

Na verdade elas manipulam os elementos contidos nestes produtos em benefício do médium e dos consulentes. Com o fumo há a manipulação dos elementos água, fogo e ar, usados na forma de uma defumação "forte" e com o álcool a utilização dos elementos água e fogo com o intuito de descarregar o próprio médium das cargas que vão se acumulando durante os atendimentos.

Esse é um tema muito polêmico e que deve ser discutido dentro de cada terreiro. Mas, enquanto a legislação não prevê exceção para as entidades, recomendamos: “SE INCORPORAR E BEBER NÃO DIRIJA”.